Setor de joias e acessórios aposta na união entre Visagismo e peças artesanais para o lançamento de nova coleção

Em um ano marcado pelo advento da pandemia de COVID-19, empresas de todos os setores se viram diante de grandes desafios. De acordo com o “The State of Fashion 2020 Coronavirus Update”, o setor da moda é especialmente vulnerável a essas condições, dada sua natureza discricionária. Assim, como destaca o relatório da McKinsey & Company, os executivos de empresas da moda devem olhar além da gestão de crises e começar a reimaginar o setor o mais rapidamente possível. É nesse movimento inovador que a artesã Rita Gualberto e o casal de consultores visagistas Robson e Tania Trindade, começaram a imaginar uma nova coleção, diferente de tudo que existe no mercado de acessórios nacional e internacional.

Depois de meses de reuniões e um cuidadoso processo de desenvolvimento, o resultado é uma linha com todos os tipos de acessórios, pulseiras, colares, braceletes, chaveiros, entre outros, tanto para o público masculino, quanto para o feminino. Formada em Fashion Styling no Instituto Marangoni (Paris), a Mestre Professora de Moda e Beleza Tania Trindade participou de todas as etapas do processo criativo, que teve como base os conceitos do Visagismo. Quem assina a coleção e foi responsável por construir as referências visagistas é o Mestre, doutorando e professor de Visagismo Robson Trindade, que determina elementos como linhas, formas e texturas que o Visagismo apregoa para que a coleção tenha a melhor aderência possível ao público. De acordo com Robson: “Estamos fazendo um trabalho complementar onde a Rita entra com toda a sua expertise com as pedras e as técnicas de produção artesanal, Tania traz sua visão de moda e eu complemento com o Visagismo. Os resultados são incríveis e impactantes”.

Tania Trindade explica: “Todos os detalhes e conceitos visagistas trazidos pelo Robson nos permitem criar uma coleção capaz de trazer à tona o melhor da imagem idealizada e desejada por homens e mulheres contemporâneos de todas as idades. Aliados a essas referências estão o meu conhecimento e a incrível experiência da Rita Gualberto com a criação de peças naturais e artesanais. O resultado é um produto diferenciado, inovador e que chega ao mercado para fazer história”. Rita ainda comenta: “É a primeira vez que nos unimos para criar uma coleção com base no Visagismo. Essa união vai transformar o mercado mais uma vez através de um brilhante trabalho pioneiro na construção de novos produtos para um novo público, com novos acessórios e um novo olhar visagista.”

Todas as peças da coleção são produzidas artesanalmente e usam pedras e cristais naturais em sua composição. A escolha dos materiais utilizados levou em consideração os diferentes usos e interpretações do significado dos materiais. Segundo Tania “Durante o processo de criação, nos preocupamos em satisfazer as necessidades e os desejos de pessoas das mais variadas crenças e linhas de personalidade, temperamentos e pensamento. Por exemplo, para quem é ligado aos conceitos da Astrologia, temos pulseiras com a principal pedra de cada signo; para quem é mais ligado a questões de energia temos colares com as pedras de cada Chakra. E para quem não atribui nenhuma propriedade ou significado aos materiais, temos todas as peças com um design fantástico e inovador para compor o estilo de cada um”.

Em se tratando do mercado de joias e acessórios, esse movimento criativo parece ser, além de benéfico, necessário. Para Marty Hurwitz, co-fundador e CEO da MVI Marketing, o segmento precisa atentar para as limitações criadas pelas práticas antiquadas. O grande desafio está em aceitar que a indústria está atrasada. “Agora, para o consumidor, parecemos o que somos: um bando de velhos brancos criando um produto e controlando-o”, destaca o empresário. Rita Gualberto e os Trindade, por outro lado, sempre buscaram trazer ao mercado nacional e internacional, peças contemporâneas, de qualidade e acessíveis a todos os públicos, demonstrando um movimento de vanguarda que a indústria em geral ainda não percebeu. E além disso, ainda criam oportunidades de trabalho para artesãos que também estão sofrendo com a crise econômica mundial desencadeada pela pandemia.

 

 

Referências:

https://www.mckinsey.com/

https://www.metropoles.com/

http://mrlodistone.com.br/

https://birodevisagismo.com.br/

https://www.instagram.com/glauber_serafim/

https://www.instagram.com/robsontrin10/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima